Guarda Ambiental resgata ave em extinção

Em 07/06/2017

           


 

Guarnição do Grupamento Ambiental (GAM), composta pelos GCM Balbino Mat. 15.164-5 e GCM Eduardo Mat. 15.798-8, no dia 06 de junho de 2017.

Fomos abordados, por volta das 17:10h, por um funcionário do Asilo Nossa Senhora do Carmo, localizado na rua Arthur Silva, nº 131 no centro da cidade, que nos informou que nos fundos do asilo havia um gavião que estava ali há três dias. Fomos ao local e constatamos que o animal estava impossibilitado de voar. Fizemos seu resgate, entramos em contato com o Dr. Henrique Nogueira, do hospital Veterinário da UENF, que se dispôs a recebê-lo. Seguimos para a UENF com o auxílio do GCM Silva.

Ao examinar animal, o Dr. Henrique nos informou que se tratava de um Gavião-Pomba, com peso abaixo do normal (323gr), com características de que estava sendo criado em cativeiro e classificado como uma espécie ameaçada de extinção. Ele foi alimentado e internado para a realização de exames.

Gavião-pombo-pequeno
(Amadonastur lacernulatus)

Rapinante exclusivo da Mata Atlântica, frequentemente registrado na Serra do Mar e regiões próximas do litoral. Costuma planar sobre a floresta nas horas mais quentes da manhã, sendo mais raro que o gavião-pombo-grande (P. polionotus) em boa parte de sua distribuição. Também conhecido como gavião-pomba.

• Descrição: Mede de 42-49 cm de comprimento, com envergadura de até 96 cm. Apresenta a cabeça, nuca e partes inferiores brancas, enquanto o dorso e as asas são pretas. A cauda é branca com base e faixa terminal preta. É muito parecido com o gavião-pombo-grande (Pseudastur polionotus), diferenciando-se principalmente pelo padrão da cauda (Mikich & Bérnils. 2004; Sick, 1997).

• Alimentação: Alimenta-se principalmente de invertebrados, como insetos, aranhas e gastrópodes. Em menor frequência pode capturar cobras, lagartixas, roedores, pequenos mamíferos e aves (Garske & Andrade, 2004; Mikich & Bérnils. 2004; Sick, 1997). Normalmente caça presas no solo, pode associar-se a bandos mistos de aves que seguem formigas-de-correição, bandos de quatis ou macacos para capturar animais espantados por eles (Sick, 1997; Carvalho et al. 2009). Também há registros de indivíduos seguindo tratores, na tentativa de capturar animais que são afugentados por estes (Mikich & Bérnils,2004; Sick, 1997).

 

Fonte: http://www.avesderapinabrasil.com/leucopternis_lacernulatus.htm